domingo, 16 de novembro de 2008

A mudança de Copérnico

por Max Lucado

Culpe o Copérnico. O mundo estava muito bem até que ele veio em 1543 e anunciou que o Sol, e não a Terra, era o centro do sistema solar.

Ptolomeu convenceu o mundo do contrário e por 1400 anos acreditamos que éramos o centro de atividade. Era uma posição invejável. Os pais podiam apontar para o céu à noite, colocar os braços ao redor dos ombros de seus filhos e dizer: “Estamos bem no meio de tudo isso”.

O centro da roda planetária, o ponto central do corpo celeste, o 1600 da Avenida Pensilvânia do universo. Deixe os outros planetas orbitarem inquietamente como vagabundos através dos céus, não nós. Não senhor. Nós estávamos aqui ontem; estaremos aqui amanhã. Tão previsível como o Natal.

Não só estávamos no centro de tudo, éramos a âncora de tudo. Ptolomeu vislumbrou uma Terra imóvel. Uma rocha de estabilidade entre órbitas esquizofrênicas. Porque alguns planetas são tão tristes que eles farão uma volta de 180 graus em você de um dia para o outro. Não a Terra. Não. O Rochedo de Gibraltar não se move e a Terra não gira. Somos o centro do Universo e somos a âncora do Universo.

Então vem Nicolau. Nicolau Copérnico com seus mapas e desenhos, seu nariz ósseo e seu sotaque polonês. Ele dá um tapa em nossas costas, limpa sua garganta e diz: “Desculpa, sinto muito por dar a notícia. Mas o centro do nosso Sistema Solar está lá”. E, levantando um só dedo, aponta em direção à estrela mais brilhante: o Sol.

O anúncio não foi bem recebido. As pessoas não recebiam bem o rebaixamento naquele tempo. Ainda não recebemos. Ainda gostamos de pensar que o Universo gira ao nosso redor. E não gostamos que nos digam o contrário. Mas essa não é a mensagem da Bíblia? Deus não faz o que Copérnico fez? Dando um tapa nas costas da humanidade, Ele aponta para o Filho e diz: “Veja o centro de tudo”.

“Ressuscitando-o dentre os mortos e fazendo-o sentar-se à sua direita nos céus, muito acima de todo principado, e autoridade, e poder, e domínio, e de todo nome que se nomeia, não só neste século, mas também no vindouro.” (Ef. 1: 20,21)

De um lado, essa notícia traz grande alívio. Como você não é mais o centro do Universo, não sente mais o peso do mundo em suas costas. Mas por outro lado, a transição de ter o centro em si mesmo para ter o centro em Cristo é o desafio mais difícil que temos que enfrentar. Existe um pouco do Ptolomeu em nós.

Se Cristo é o centro, tudo muda. Você não vive mais para se servir; você vive para servi-Lo. Você se esforça não para fazer a sua vontade, mas a dEle. Você não exige mais que seja do seu jeito, mas procura o jeito dEle. O seu objetivo não é o seu prazer, mas Sua honra. Você não é mais o senhor do seu território; Deus é. Sua primeira pergunta não é: “O que eu quero fazer hoje?” Mas, antes: “O que Deus está fazendo e como posso ser parte disso?”

Isso não diz respeito a mim e a você. Diz respeito a Ele.

Pense sobre as conseqüências do pensamento da Terra achatada. Você não acha que Ptolomeu teve fortes dúvidas? Se você vê a Terra como um objeto imóvel quando tem na verdade uma órbita giratória, você tem sérias dúvidas sobre ciência natural.

E, se você se vê como o centro do Universo, quando não é, você tem alguns problemas filosóficos. Isto é: morte, doença e desastre. Se o mundo gira ao seu redor, por que tudo não acontece do jeito que você quer?

Tornar-se um cristão é admitir que isso não acontece. Tornar-se um cristão significa confessar e celebrar Deus como a estrela e assumir nosso lugar como amados, mas órbitas menores no seu plano.

Ouvimos menos de: “Isso é o que eu quero!” e mais de: “O que você acha que Deus quer?” Carreira e negócios tornam-se plataformas para o nome de Deus, não o nosso. E nossos corpos. Não mais dizemos: “Bem, é o meu corpo eu posso (múltipla escolha) comer o que quiser, inalar o que quiser, dormir com quem eu quiser”. Mas compreendemos melhor que nossos corpos são emprestados por Deus. Como podemos usá-los para Sua honra?

Chame de mudança de Copérnico. De nos termos como centro para termos Deus como centro. De termos a nossa promoção para ter a promoção de Deus. A mudança não foi fácil para Copérnico. Até a igreja o afligiu por causa de sua descoberta.

A mudança não é fácil para você e para mim. Mas vale a pena descobrir o seu lugar no Universo.

Notas:

Traduzido por Cynthia Rosa de Andrade Marques Almeida
Texto original extraído do site www.maxlucado.com

Este texto, retirado do site: www.irmaos.com

Nenhum comentário: