quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Ao meu amor...

Para viver um grande amor


Para viver um grande amor, preciso é muita concentração e muito siso, muita seriedade e pouco riso - para viver um grande amor.
Para viver um grande amor, mister é ser um homem de uma só mulher; pois ser de muitas, poxa! é de colher... - não tem nenhum valor.
Para viver um grande amor, primeiro é preciso sagrar-se cavalheiro e ser de sua dama por inteiro - seja lá como for. Há que fazer do corpo uma morada onde clausure-se a mulher amada e postar-se de fora com uma espada - para viver um grande amor.
Para viver um grande amor, vos digo, é preciso atenção como o "velho amigo", que porque é só vos quer sempre consigo para iludir o grande amor. É preciso muitíssimo cuidado com quem quer que não esteja apaixonado, pois quem não está, está sempre preparado pra chatear o grande amor.
Para viver um grande amor, na realidade, há que compenetrar-se da verdade de que não existe amor sem fieldade - para viver um grande amor. Pois quem trai seu amor por vanidade é um desconhecedor da liberdade, dessa imensa, indizível liberdade que traz um só amor.
Para viver um grande amor, il faut além de fiel, ser bem conhecedor de arte culinária e de judô - para viver um grande amor.
Para viver um grande amor perfeito, não basta ser apenas bom sujeito; é preciso também ter muito peito - peito de remador. É preciso olhar sempre a bem-amada como a sua primeira namorada e sua viúva também, amortalhada no seu finado amor.
É muito necessário ter em vista um crédito de rosas no florista - muito mais, muito mais que na modista! - para aprazer ao grande amor. Pois do que o grande amor quer saber mesmo, é de amor, é de amor, de amor a esmo; depois, um tutuzinho com torresmo conta ponto a favor...
Conta ponto saber fazer coisinhas: ovos mexidos, camarões, sopinhas, molhos, strogonoffs - comidinhas para depois do amor. E o que há de melhor que ir pra cozinha e preparar com amor uma galinha com uma rica, e gostosa, farofinha, para o seu grande amor?
Para viver um grande amor é muito, muito importante viver sempre junto e até ser, se possível, um só defunto - pra não morrer de dor. É preciso um cuidado permanente não só com o corpo mas também com a mente, pois qualquer "baixo" seu, a amada sente - e esfria um pouco o amor. Há que ser bem cortês sem cortesia; doce e conciliador sem covardia; saber ganhar dinheiro com poesia - para viver um grande amor.
É preciso saber tomar uísque (com o mau bebedor nunca se arrisque!) e ser impermeável ao diz-que-diz-que - que não quer nada com o amor.
Mas tudo isso não adianta nada, se nesta selva escura e desvairada não se souber achar a bem-amada - para viver um grande amor.




in Para viver um grande amor (crônicas e poemas)
in Poesia completa e prosa: "Para viver um grande amor"


*** Pois, te amo tanto e sempre e com direito à sofrer a distância de não te ter por perto sempre que eu quiser. Sejas sábio com acessos de loucura, sejas louco com acessos de sobriedade, amo-te na mesma intensidade. Desejo-te mais e tanto, pois me é tão caro como meus próprios tesouros ocultos. A via Láctea te escondes de mim, mas não será por tanto tempo, pois viveremos nosso grande amor. Mil beijos.***
Potinhos.

Potinhos, para você, talvez não passem disto: Potes.
Talvez não seja nada de mais. Não sejam mais que utensílios domésticos, coisas que você use, lave e guarde para uma próxima oportunidade.
Ou, talvez, potes tenham alguma outra serventia, guardar coisas, recordações, boas lembranças, talvez um determinado pote te lembre das compotas que a sua avó fazia, quando você era muito, mas muito pequenino.
Ok, posso ir mais longe: Talvez potes te lembrem que você está com muita fome, mas, que a preguiça de ir até a cozinha fazer alguma coisa é maior, então te dê aquela fome, misturada com preguiça e você queira ir dormir.. é, seria uma boa opção, se não fosse tão trágico. (risos)

Potinhos pra mim são diferentes, eles tem cores, tem vibração, ouço inclusive seus tons vocais, potinhos são especiais.
Cada dia descubro que um potinho é diferente do outro potinho, que cada um tem uma marquinha aqui, outra alí, que cada um precisa de um acerto aqui e alí, uma limpezinha acolá, um brilho na tampa... alguma coisa especial que lhes garanta maior valor e apreço de minha parte.

Sinto suas dores, sinto as batidas dos corações de cada potinho.
E agora, é provável que você pense: Que loucura é essa? Qual é a razão de um pote valer tanto???

Para mim, potes são como pessoas, cada uma com seu valor, é uma forma de se referir aos queridos da sua vida como aqueles que você quer ter por perto, em potinhos nas estantes do coração. Aprendi isso com uma grande amiga. Ela é o meu potinho numa coloração entre vermelho e rosa. (risos)

Ela não pode ser o pote vermelho, pois entramos num consenso: O pote vermelho é de uma pessoa muito especial que tem sangue nobre - e que AMA vermelho, seria injustiça não lhe conceder a honra de ser marcada em nossas vidas com a cor que ela mais gosta, não é mesmo? - sangue nobre, realeza à mostra, e beleza inigualável, dado que seu caráter é admirável.

Nem pote rosa, pois o pote rosa pertence a uma outra pessoinha, pessoinha pois nem é tão alta assim (risos) e é um doce de criatura, este é um potinho que me surpreende dia-a-dia e que estou descobrindo como lustrar, pois merece sempre um plus. (risos).

Na semana que antecedeu ao dia 29 de setembro deste ano, conheci um potinho lindo!! na verdade uma potinho (risos), consideramo-la um potinho lilás, combina com ela, viva, companheira, aberta, um docinho!! Nem sei se ela sabe que faz parte dos potinhos, muito provavelmente não saiba.

O Potinho que fica entre vermelho e rosa, pode ser um pote pink ok?! rs
Eu entendo que seja pink! rs
É um pote que me ensina muita coisa, que eu tenho vontade de bater algumas vezes, um pote que dá um trabalhão, mas que eu amo muito.

Estes são meus potinhos... ^^
Assim que der, apresento outras cores de potes rsrs
Até mais moçada!!