sábado, 28 de março de 2009

Centro de Recuperação de Crentes...


Ultimamente algumas coisas têm sido engraçadas. 

Deus tem falado muito comigo a respeito de cura da alma, cura das emoções, de tomar posições santas frente aos pecados de estimação. São decisões constantes: entre a preguiça e a ordem/ entre o orgulho e a humildade/entre confessar e esconder/ arrepender e fingir que aquilo não é nada/ amar e ser indiferente ou odiar/ entre ser igual ao mundo e ser o oposto do mundo... enfim...

A Paulinha, comentando sobre a viagem missionária que fará em Julho (aliás quem quiser abençoá-la, entrar em contato comigo!rs) disse: Vou trabalhar com um centro de recuperação de crentes. 

Aquilo me fez pensar um pouco. A igreja muitas vezes é um local em que há pessoas que se mascaram, que acham que por ir à igreja farão alguma diferença. Não é o fato de ir ou não ir. A igreja não é um clube social (como disse a Renata, na ultima célula). A igreja não é playground ou picadeiro de mágicas. A igreja é um centro de recuperação. 

De almas.. almas de todos os jeitos.

Almas feridas, abandonadas, orgulhosas, chatas, legais... endividadas, ricas.. almas.. o que importa, não é o que se tem, mas sim o que se é, quem se é.

Você é amável? Você anda triste? Você está alegre? A igreja é o lugar pra você! A igreja chamada à Santidade. 

Nas palavras de Heloísa Rosa: “Sermos, desfrutarmos e proporcionarmos uma Igreja pura, verdadeira em seu propósito de Igreja, sem mancha nem mácula, liberta do pecado e de tudo que tenta incessantemente escravizá-la; uma Igreja RESTAURADA, não apenas reformada, mas o mais próximo possível do seu estado puro e original; uma Igreja que Jesus imaginou quando declarou que a estava estabelecendo”.

Esse é o chamado da Igreja! E a sua função.

Chamar à Salvação, propagar a liberdade da santidade, viver uma vida diferente e leve internamente, o que não quer dizer "sem responsabilidade". Mas sim, livre!

O diferente hoje é  namorar e não "pegar ou ficar", não mentir, brincar sem ofender, cuidar, conversar, ouvir, pagar impostos, fazer cosquinha, adorar, ser amigo de verdade e andar junto. E eu quero ser diferente.