sábado, 30 de janeiro de 2010

As perfeições de Deus

Que és, portanto, ó meu Deus? Que és, repito, senão o Senhor Deus? Ó Deus sumo, excelente, poderosíssimo, onipotentíssimo, misericordiosíssimo e justíssimo.

Tão oculto e tão presente, formosíssimo e fortíssimo, estável e incompreensível; imutável, mudando todas as coisas; nunca novo e nunca velho; renovador de todas as coisas, conduzindo à ruína os soberbos sem que eles o saibam; sempre agindo e sempre repouso; sempre sustentando, enchendo e protegendo; sempre criando, nutrindo e aperfeiçoando, sempre buscando, ainda que nada te falte.

Amas sem paixão; tens zelos, e estás tranqüilo; te arrependes, e não tens dor; te iras, e continuas calmo; mudas de obra, mas não de resolução; recebes o que encontras, e nunca perdeste nada; não és avaro, e exiges lucro. A ti oferecemos tudo, para que sejas nosso devedor; porém, quem terá algo que não seja teu, pois, pagas dívidas que a ninguém deves, e perdoas dívidas sem que nada percas com isso?

E que é o que até aqui dissemos, meu Deus, minha vida, minha doçura santa, ou que poderá alguém dizer quando fala de ti? Mas ai dos que nada dizem de ti, pois, embora seu muito falar, não passam de mudos charlatães.


(CAPÍTULO IV - As perfeições de Deus - Agostinho: Confissões)

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Banalização

Significa vulgarizar, tonar banal, corriqueiro,. sem especialidade alguma, sem atrativos, diuturno, banal.

A crise do século hoje é a banalização de conceitos que ninguém falava, banalizou-se a família, banalizou-se a religião, banalizou-se o sexo, enfim..
Tudo o que era respeitado tornou-se banalizado.

Há 30 anos atrás eu não estaria escrevendo isso, sequer ousaria dizer qualquer coisa a esse respeito.
Mas, banalizou-se.

Estava trabalhando e ouvi de uma senhora, casada e mãe de filhas: _ O casamento só é bom enquanto está no começo e há fogo. Depois de 10 anos, perde-se o amor. E tudo perde a graça.

Lógicamente que ela disse isso em termos que não ousarei reproduzir, porque há hora e momento e não é aqui e nem agora, o que me fez pensar: _ Mas, isso é coisa pra se dizer à moças solteiras? Destilar veneno sobre as intituições para aquelas que desconhecem o bonito do matrimônio?

Defendo o matrimônio, a família, a estrutura social criada para a Vida. O marido, a esposa e os filhos. É bonito uma casa, uma família, uma constituição nova de um microssistema social, no qual se vivenciará a doação da Vida e a dor da Separação.

Lógico, conviver é lidar com alma, emoções, rixas, brigas, perdões, risadas. É vivência e convivência. Supõe maturidade e racionalidade. Trabalha a beleza e a feiúra. Amor e ódio. Tristeza e Alegria. São contrapontos que nos levam ao desabrochar da alma.

"Sem a dor do parto não há nascimento" (Ir. Neusa Fernandes, fsp)

É preciso bom-senso e caráter pra se manter íntegro em nossos dias, com a graça de Deus, pois, sem Ele tudo é banal...

Beijo na boca é banal, sexo é banal, divórcio é banal, assassinato é banal, aborto mais banal ainda. A Barbárie reina em pleno século XXI.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

"...Pro dia nascer feliz..."

Hoje acordei com a minha mãe gritando de susto, na hora pensei: _Barata!
Mas, errei! Era uma lagartixa, que estava na parede do banheiro e caiu quase em cima da minha mãe, acordei rindo!! (Lógico que se fosse comigo eu tinha pulado no colo dela em 2 segundos, mas, como era com ela, caí na gargalhada rsrs)

Conversamos e rimos, a Gabriella como sempre, passou a noite a "lobisomar", ou seja, em claro conversando, para desespero geral da nação, e, como sempre, hoje está de castigo. Então, estávamos todos à exceção do Pietro, tomando café - feito pela Gabi!! (pra quem já tomou o café dela, deve saber que, o Ministério da Saúde adverte, tomar depois das 17hrs pode causar insônia de 5 dias kkk - discutindo sobre a homilia de ontem, que eu não entendi nada, prq o sotaque luso de nosso ministro não me permitiu (e depois dizem que eles falam português, deve ter algo errado, ou eles não falam português, ou nós não o falamos. E eu prefiro não opinar. rs)

Fui para a igreja logo cedo (pois havia combinado de conhecer a moça do Tribunal Eclesiástico e após o trabalho precisarei correr à faculdade - rematrícula...!!! - portanto, me seria melhor às 7hr do que 18h30..) e hoje ouvi a respeito de um Jesus totalmente humano, que se irou e se entristeceu... o Jesus que eu conheço como meu querido companheiro e não aquele que me disseram cuja vida está longe da minha e cujas expectativas são inatingíveis.

Tão bom tudo isso pela manhã, faz um bem, trás uma serenidade tão almejada para os dias de hoje. Apaixonantemente bom esse Deus!!! Apaixonante!! Quanto mais O conheço, tanto mais O desejo.

Àqueles que lêem, um dia abençoadíssimo, que o dia nasça feliz à vocês, riam da vida!
Lembrem-se das coisas boas e lembrem-se Daquele que de tão divino e doce se fez carne e habitou entre nós, e vimos a Sua Glória, a Glória do Unigênito do Pai, cheio de Graça e Verdade.

Naquele que de tão amoroso é criativo dia após dia,

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

De repente, num lâmpejo divino: Me toquei.

É estranhamente gostoso você se dar conta dos rumos que levou na vida na verdade te conduziram para um Bem Maior, que Deus te conduziu rumo a um propósito que te faz vivenciar a plenitude da sua vida. Que o torna realizado, completo, repleto Dele e sua alegria então se faz completa.

Então me lembrei de muitas coisas: as aulas de química do Biel, da Cássia, as explicações pro Greg, as aulas de Redação pra Jani... enfim, os reforços escolares, as explicações de Filosofia e História da turma do primeiro ano...
O Leitura-Paixão!
Isso, sem contar a Tia Ná, que foi a prova da Mão de Deus na instrução de alguém.
Tem a grudi, a dona Odete... tantas pessoas...

Didática não se aprende na Universidade, lá só a aperfeiçoamos, ela é dada por Deus quando nascemos, como conjunto da bagagem que Ele nos concede com a finalidade única de lhe glorificarmos.

sábado, 16 de janeiro de 2010

Edith Stein

Escolher a loucura, a não compreensão, estar ciente das perseguições, da revolta social perante a opção individual.

Ontem assisti um filme sobre Edith Stein, doutora em filosofia, judia, alemã e que em meio à um mundo em crise descobre em Jesus uma razão para existir e se volta à Ele. Encontrando o que diz a letra desta canção.

Ah! Como é bom
Sentir a doce paz
E o amor que é suave
Me leva a sorrir

É você chegou
Qual ladrão me fitou
E roubou para si
O meu coração

E agora sem forças
Eu sou prisioneiro
Do mais belo amor
Do doce Jesus
Do meu bem da Cruz

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

ET VERBUM



No princípio morava o Verbo e em Deus vivia,
nele sua felicidade infinita
possuía

O mesmo Verbo Deus era
e o princípio se dizia
Ele morava no princípio
e princípio não havia

Ele era o mesmo princípio, por isso d’Ele carecia.

O Verbo se chama Filho,
pois do princípio nascia.
Ele sempre O concebeu,
e sempre O conceberia.

Dá-Lhe sempre sua substância
e sempre a conservaria.

E assim a glória do Filho
é a que no Pai havia
E toda a glória do Pai
no Seu Filho a possuía.

Como Amado no Amante,
um no outro residia
E esse Amor que Os une
no mesmo coincidia.

Et Verbum caro factum est. (4x)

Et Verbum
Kelly Patrícia
Composição: São João da Cruz / Kelly Patricia

Luto



Lágrimas No Paraíso (tears in heaven - Eric Clapton - traduzida)

Você saberia meu nome
Se eu o visse no Paraíso?
Você seria o mesmo
Se eu o visse no Paraíso?

Preciso ser forte
E aguentar firme
(...)


Você seguraria minha mão
Se eu o visse no Paraíso?
Você ajudaria a levantar-me
Se eu o visse no Paraíso?

Acharei meu caminho
Pela noite e dia
(...)


O tempo pode te trazer para baixo
O tempo pode fazê-lo curvar-se
O tempo pode partir seu coração
Fazê-lo implorar por favor
Implorar por favor
Atrás da porta
Há paz
Estou certo
E eu sei que não haverão mais
Lágrimas no Paraíso

À Amélia Correia - um presente que Deus me fez conhecer - In Memorian

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Deus está no homem, e este em Deus

E como invocarei meu Deus, meu Deus e meu Senhor, se ao invocá-lo o faria certamente dentro de mim? E que lugar há em mim para receber o meu Deus, por onde Deus desça a mim, o Deus que fez o céu e a terra? Senhor, haverá em mim algum espaço que te possa conter? Acaso te contêm o céu e a terra, que tu criaste, e dentro dos quais também criaste a mim? Será, talvez, pelo fato de nada do que existe sem Ti, que todas as coisas te contêm? E, assim, se existo, que motivo pode haver para Te pedir que venhas a mim, já que não existiria se em mim não habitásseis?
Ainda não estive no inferno, mas também ali estás presente, pois, se descer ao inferno, ali estarás.
Eu nada seria, meu Deus, nada seria em absoluto se não estivesses em mim; talvez seria melhor dizer que eu não existiria de modo algum se não estivesse em ti, de quem, por quem e em quem existem todas as coisas? Assim é, Senhor, assim é. Como, pois, posso chamar-te se já estou em ti, ou de onde hás de vir a mim, ou a que parte do céu ou da terra me hei de recolher, para que ali venha a mim o meu Deus, ele que disse: Eu encho o céu e a terra?
Agostinho de Hipona - Confissões - Parte II

Alianças.


Dia 08/01/2010 - data que ficou marcada na minha mente.

Indescritíveis as sensações, as percepções, os detalhes, a beleza e sensibilidade, as palavras...
Teve início uma aliança minha com o meu Pai cuja marca está delimitada por uma aliança, fundada numa marca de amor em Oséias que carrego inserida numa aliança prata num dos dedos em minha mão esquerda.

Gostaria de saber como transmitir a alegria que sinto. Não consigo, vai aquém das minhas possibilidades humanas.
O desespero transitório ocasionado pelo meu estado sedento é deixado de lado ao sentir e tocar Suas Mãos, olhando seus olhos fraternos e tendo todo meu ser inundado por Seu Amor.

As pegadas que segui de meninas que sabem a Quem querem servir, o coração ardente em fazer de alguma forma a diferença nesta sociedade tão deturpada e perdida. Rememorando os fatos meu coração se enternece e fico pensando "Quero ter estas mesmas asas nos pés - ser parte disso", as lágrimas começam a querer aflorar e fico um tanto perdida no Tempo e no Espaço, sabendo apenas isso "Aquele que chama é o mesmo que capacita e envia", "Aquele que iniciou a boa obra a completará até o dia de Cristo Jesus", "Fiel é o que vos chama", "Bem-aventurados os pés daqueles que anunciam as Boas-Novas de Salvação".

Asas nos pés e um ardente coração.

A aliança que carrego anelo por demonstrá-la em ações, não para minha própria glória, mas por amar Aquele que "me chamou desde o ventre e me sagrou profeta entre as nações" (toda a Igreja é a Voz Profética do Senhor), e cumprir por seu Amor, e amar como Ele amou. Aleluia.

Naquele que anela por se aliançar conosco,

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

desespero

Uma agonia no coração, um ardor na alma.
Assim me sinto, desesperada por aprender e apreender.
Por compartilhar e transformar.

Essa faísca que nas palavras de West são "fogo no coração e asas nos pés", alguém me envie pessoas assim, alguém me conceda tempo pra absorver, pra apreender, óh Céus... alguém me permita conhecer o Deus desconhecido, mergulhar em Sua Essência e ser transformada pelo Seu Imenso Poder Amoroso.

Parece que quanto mais converso, quanto mais me envolvo e descubro, mais me vejo sedenta...
Isso é injusto, quanto mais persigo o Conhecimento, mais ele foge de mim e se esconde por entre as árvores e só lhe vejo os rastros dos pés.

voltas..

Por muitas vezes me deparei com situações que me obrigariam a tomar decisões, algumas em extremo dolorosas.
A letra de Gilberto Gil (se não estou enganada - não tenho mta certeza rs) "Se eu quiser falar com Deus" me levou a refletir e sentir uma dor imensa na alma, uma angústia, quase um desespero, típico daquelas almas poéticas e sensíveis (cujo grupo inevitavelmente faço parte...)

Se eu quiser falar com Deus
Tenho que ficar a sós
Tenho que apagar a luz
Tenho que calar a voz
Tenho que encontrar a paz

Tenho que folgar os nós
Dos sapatos, da gravata
Dos desejos, dos receios
Tenho que esquecer a data
Tenho que perder a conta
Tenho que ter mãos vazias
Ter a alma e o corpo nus

Se eu quiser falar com Deus
Tenho que aceitar a dor
Tenho que comer o pão
Que o diabo amassou
Tenho que virar um cão
Tenho que lamber o chão
Dos palácios, dos castelos
Suntuosos do meu sonho
Tenho que me ver tristonho
Tenho que me achar medonho
E apesar de um mal tamanho
Alegrar meu coração

Se eu quiser falar com Deus
Tenho que me aventurar
Tenho que subir aos céus
Sem cordas pra segurar
Tenho que dizer adeus
Dar as costas, caminhar
Decidido, pela estrada
Que ao findar vai dar em nada
Nada, nada, nada, nada
Do que eu pensava encontrar

É uma letra interessantíssima, que não posso fazer uma análise qualquer num único post, é profunda e como diria minha amiga Líria Grade "O ponto de vista é alguém é a visão de um ponto", ou seja, ainda que eu tente escrever e analisar vou pecar em algo. No caso em análise por exemplo: Se eu estiver ressentida com Deus, posso usar essa música como fruto de revolta. Se eu estiver compreendendo a liberdade do homem e a liberdade concedida por Deus, então terei uma outra perspectiva desta canção, pois quando nos achegamos à Deus com a visão de um Deus austero, terrível, ao chegarmos diante Dele não encontraremos o que esperávamos. Se tivermos uma perspectiva de um Deus "papai noel" não encontraremos o que esperávamos tbm.

A realidade é que os nossos idealismos não correspondem à Deus em absoluto, mas apenas à partes do caráter de Deus.

Quando nós -humanos- nos deparamos com a injustiça, ficamos irritados, queremos fazer cabeças rolarem, sangue, vingança, certo? A reação de Deus nem sempre será assim, muitas e sempre, não será assim. Se houver arrependimento sincero por parte do agressor - e isso acontece e é o anseio de Deus - Ele perdoará e o que era pra ser maldição será transformado em bênção.

Ontem eu descobri a lâmpada kkk, na verdade, me transmitiram essa descoberta. Com uma pergunta de criança, porém de difícil resposta.

_ Em que reside o poder de Deus?

O poder de Deus reside no respeito ao Ser humano e por consequencia em Seu AMOR, em suma, o Poder de Deus reside no Amor de Deus por nós que é supremo e sublime. É uma resposta sem muitas voltas, sem as voltas que eu mesma dei pra chegar até ela,rs, mas é assim que são as coisas, Ele é simples. Nós complicamos.
Somos como crianças:

_Mãe, prq não posso enfiar o dedo na tomada?

Se a sua mãe disser que vc não pode por "esse, aquele e aquele outro" motivo e você tiver 2 anos de idade, então essa resposta não vai adiantar mto. E vc colocará o dedo na tomada.
Se vc ouvir "Prq é perigoso e faz dodói" pode ser q isso baste, mas, se vc for como eu, curioso, inquieto, perquiridora por natureza... então, através do empirismo é que vc irá atrás e descobrirá que FAZ DODOI...

Nós nunca vamos atrás de descobrir em que reside o amor de Deus, prq a nossa cultura nos ensina que "quem fala demais dá 'bom dia' aos cavalos", ou seja, é melhor calar à questionar, o que é mentira, se não fosse para questionarmos, não teríamos isso em nossa natureza, mas temos. Então, pergunte, questione, levante as pulgas, mas compreenda, se você de fato procurar a verdade em Deus, com um sincero coração, você a encontrará e algumas perguntas podem ser que não sejam respondidas agora, você e eu ainda temos 2 anos, não vamos conseguir assimilar o porque de não podermos colocar o dedo na tomada muitas vezes.
Saiba que o poder de Deus é Amor.
Amor em absoluto.
Amor aquém das suas questões.
E por causa desse Amor é que Ele se dispôs a identificar-se conosco e nos redimir. Ele não precisava ter vindo, Ele não precisava de nós, mas, Ele nos amou...
Se achegue confiante junto ao Trono, pergunte à Ele, peça uma direção... Ele o fará.

Naquele por meio de quem experimentamos o verdadeiro amor,

Amanda

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Sacerdócio de loucos.

Porque, é claro, isso não é p/ quem se acha normal... e é maravilhoso ser anormal kkkk

Nos últimos dois dias tenho lido sobre os escritos de M. Basiléa Schlink, fundadora das Irmãs Evangélicas de Maria, com fundamentos evangélicos. Mas, pouco importam agora se os fundamentos são de teologia evangelica ou não, fato é, que tem fundamentos bíblicos coerentes e sólidos e me chamou atenção algumas de suas palavras, dentre as quais faço questão de compartilhar as seguintes:

"Sacerdotes são pessoas inflamadas com um ardente amor pelos outros e que estão dispostas a serem 'anátema, separado de Cristo' (Rm 9.3), a viverem sem o que é bom, desejável e satisfatório, se somente outros puderem ser salvos do fogo. O apóstolo Paulo foi um sacerdote de Deus assim. Ele estava pronto para, tanto aqui como na eternidade, ser privado da alegria e da realização de sua vida, ou seja, a presença de Jesus, se somente os seus compatriotas pudessem ser salvos. Almas sacerdotais são interiormente compelidas a fazerem sacrifícios, a renunciarem ao prestígio, à compreensão, ao amor e ao respeito dos outros; a ficarem sem dormir e sem comer (temporariamente) , sem conforto e sem comodidade, sem seus lares e sem lazer. Paulo certa vez confessou: 'Porque a mim me parece que Deus nos pôs a nós, os apóstolos, em último lugar, como se fôssemos condenados à morte; porque nos tornamos espetáculo ao mundo, tanto a anjos como a homens... Até a presente hora sofremos fome, sede e nudez; e somos esbofeteados, e não temos morada certa... até agora temos chegado a ser considerados lixo do mundo, escória de todos' (1 Co 4.9-13). Almas sacerdotais entram voluntariamente numa noite interior, a fim de que outros possam experimentar a bênção da luz." (chamados para abençoar, 1949)

Sim, soa lindamente, mas quando somos efetivamente chamados, ficamos incomodados, com um fervor enorme dentro da alma, com o Espírito nos chamando para orar por determinadas almas, por determinadas situãções, queremos ficar perto daqueles que tem a mesma visão que nós. Queremos viver dia-a-dia o Evangelho da Glória de Cristo, o Evangelho do Reino de Deus, o qual nos chamou para sermos anunciadores. Co-herdeiros e também a vergonha dos sábios deste mundo.

Eu sei o que é ter um incômodo destes, e sei o que é estar desesperado para estar com Cristo e mostrar a Cristo, vivendo-O e compartilhando-O... e não consigo me ver longe disso. É loucura para o mundo, mas sabedoria ao que crê.

Uma semana cheia de Deus.