terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Cabeça, Coração, Liberdade

"Liberdade pra dentro da cabeça" (Natiruts)

Quando menos espero, cá estou a cantarolar este refrão, e num salto ele passou a ter algum sentido.
Liberdade mental. Na verdade é uma forma de liberdade interessante.
Existem algumas "liberdades".
Liberdade de ir e vir.
Liberdade de responder à altura do ataque (num discurso)
Liberdade de entrar e sair do partido político, religião ou escola que se quiser.

São algumas das chamadas Liberdades Constitucionais, garantidas pela CF/88 brasileira.
Dentre estas liberades juridicas, temos uma liberdade psicológica. A liberdade de pensamento.

Posso até estar numa prisão física, numa cela de 1,5 x 2m² e ao mesmo tempo, estar voando livre pelo mundo, num pais diverso e com pessoas diversas e em até outra dimensão de sentimentos e desejos. Liberdade mental. Que não se confunde com esquizofrenia, cujas linhas de pensamento não são coesas/coerentes e cujos personagens se mesclam entre reais e fictícios o tempo todo e sem que se tenha certeza do que é real ou não.

Ou, usando o exemplo do esquizóide, posso até caminhar pelas ruas e não ter liberdade no meu pensar e em meu mundo interno e sem ter a real noção do que é ou não é, caminhar pelas ruas aprisionado em lembranças e fatos que se mesclam ao irreal e ao ideal.

Jesus veio para trazer liberdade não apenas física, mas principalmente psíquica, emocional, espiritual e porque não resumir e dizer liberdade plena?! Afinal, em Suas Mãos há poder para tanto. Sim, liberdade plena. E como cantaria a banda Natiruts, começando dentro da cabeça: "Liberdade pra dentro da cabeça"...

Fiquem na Paz!
Uma semana abençoada!!!

Um comentário:

Cláudia Zago disse...

Amanda, ótima reflexão! Parabéns por conseguir deixar tão simples e clara!! Beijo