quinta-feira, 20 de maio de 2010

Entre remédios, meias furadas e Ong's




Talvez eu fale muito dos amigos. É a minha realidade, e me alegro muito com ela!
Hoje meu mundo são meus amigos, espero que, um dia quando a família for maior, estes mesmos amigos não me abandonem. Acho que não viveria sem eles.
A especialidade de ser chamado por Deus pra cumprir algo em conjunto é animador! E além de tudo, é bíblico: Ir de dois em dois (três em três... quatro... cinco, enfim!). Sabe-se que não se está só. Sente-se o abraço e as orações. O aconchego, o carinho, o amor!
"Nenhum homem é uma ilha, sozinho em si mesmo; cada homem é parte do continente, parte do todo; se um seixo for levado pelo mar, a Europa fica menor, como se fosse um promontório, assim como se fosse uma parte de seus amigos ou mesmo sua; a morte de qualquer homem me diminui, porque eu sou parte da humanidade; e por isso, nunca procure saber por quem os sinos dobram, eles dobram por ti”. (Jhon Donne, citação encontrada na contracapa de "Por quem os sinos dobram de Hemingway)
Lógico a beleza poética desta citação me trás certa melancolia. Então melhor me abster. Fato é que os sinos dobram por todos.
O que quero ressaltar neste texto é que nós somos parte de um continente. Somos parte uns dos outros, cada um com sua atividade pertinente, pois se todos fossemos juizes, onde estariam os médicos não é mesmo?
Se todos fossem pastores, onde estariam as ovelhas...

Li no Blog "meditações de fim de mundo" (que é muito divertido, por sinal!) uma coisa interessante:
"Teoria da Amizade Pura - Parte 1
[...] Mas nunca vi uma amizade crescer do nada tão rápido, como quando um segredo é partilhado.
Não é que, pela altura a que chegamos a velhos, tenhamos ainda um grande lote de segredos por contar. Vamos abrindo mão deles sem dar por isso e a dada altura, todas as pessoas com que nos cruzamos juntas sabem mais de nós que aquilo que nos lembramos.[...]"

Sei lá, amizade é coisa estranha, é um pacto de honra, um pedaço de alma, um encontro de mundos, uma partilha de ideias, e um esteio para escombros. É através das amizades que descobrimos a beleza de estar com a casa destruída e ainda assim ter forças para buscar a reconstrução. E isso, é doloroso, porém belo. Remete àquela idéia de "ostra", de não ter beleza, porém num momento de dor construir a beleza.

As amizades mais sinceras surgem de lugares inusitados. A Anaí, a Jaque e a Nathália que o digam. São 3 pessoas que me são muito caras! A Anaí cresceu comigo, no entanto só depois de um pacote de sal é que nós nos unimos, pra não dizer a respeito de um par de tênis. A Jaque é como uma mãe, aliás, a Sarah que me perdoe, mas é como se fosse mãe mesmo, esteve e está presente em momentos cruciais, de dor e de alegria. E a Nathy, bem, veio por meio da Anaí, e sinceramente, mesmo que sejamos todas crisolinas, eu me sinto muito bem em sê-lo ao lado dela.
Amizade é isso! E ser UM independentemente de onde se more e da distancia que nos separe.

CLARO QUE, outras pessoas passam por aqui, os meus potinhos sabem bem disso. Os amo!
Saudações ao pote loiro e pianista com quem partilho o mesmo teto... obra de raro valor.
Saudações ao pote comprido que será tio em breve e é meu mano do core!
Saudações aos amados... partes de mim! Meus AMIGOS!

Naquele em quem personificamos as alianças de amor,

APS

Nenhum comentário: