sexta-feira, 21 de maio de 2010

Amontoando…

Aula de Usucapião.

De cada um dos lados, alguém lutando pelo seu pedacinho de chão. Quem tem direito, quem não tem direito… Alguém me diga, qual é a causa de brigar por coisas tão ínfimas?

Eu  entendo a necessidade desta guerra, é inerente à sociedade contemporânea, e, desde que alguém resolveu morar dentro de um cercadinho  que pudesse chamar de seu, essas guerras começaram.

As pessoas então começam a guerrar por pedaços de terra, pedaços de pão, um pouco de ar, dignidade, liberdade, vida, vingança, morte…

Até onde iremos nessa guerra, a maior parte das vezes com intenções egoístas, e quantos mais precisarão oferecer suas vidas em detrimentos destes ideais?

Vale a pena querer demais?

E lhes proferiu ainda uma parábola dizendo:

O campo de um homem rico produziu com abundância. E arrazoava dizendo consigo mesmo: que farei, pois não tenho onde Recolher os meus frutos?

E disse: Farei isto: destruirei os meus celeiros, reconstruí-los-ei maiores e aí recolherei todo o meu produto e todos os meus bens. Então, direi à minha alma: tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e regalate.

Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma, e o que tens preparado, para quem será?

Assim é o que entesoura para si mesmo e não é rico para com Deus. Lc. 12.16-21

A imagem utilizada é de Francisco de Assis, dizem seus biógrafos que ele compreendeu o sentido da não acumulação de bens, e viveu bem, plenamente, intensamente, contradizendo a corrente de “quanto mais tiver, melhor será”. Graças a Deus por ele ter entendido e vivido isso.

Naquele que desafia a nossa vivência ordinária,

APS