quarta-feira, 30 de junho de 2010

Pra viver e morrer basta ter coragem

bem-vindo1

Kate, aos seus dezenove anos já havia experienciado muito na vida, muito inclusive, por sua idade.
Sentia-se triste e só, mesmo com muita gente ao seu redor. Não conseguia compreender o quão importante era e quão bonita era. Decidiu que seria livre e que aproveitaria ao máximo.
Saiu em férias, foi visitar uma amiga na cidade vizinha, Joy, ambas jovens, amantes da vida, solteiras e moravam sozinhas. Chegando na casa de sua amiga, relatou o quanto se sentia só.
Combinaram com uns amigos de Joy que seria interessante sairem pra curtir a vida, os amigos, beber um pouco.
No dia seguinte, à noite, as meninas se arrumaram e estavam lindas! Sairam cada uma num carro, e, cada uma com um amigo. Kate encantou-se com o jovem com quem saíra, Josh, que tinha 26 anos. Galante, bonito, sedutor.
Joy não ficou tão impactada, sua noite foi sem graça, sem vida, Ben, com quem ela saira, bebia muito, não tinha assuntos interessantes, não parecia divertido.
Kate bebeu um pouco, pra "ter coragem", e, no momento em que Josh a estava deixando em casa, pararam o carro e começaram a conversar. Ela não morava naquela cidade, ninguém alí a conhecia, nada a impedia de "curtir" ao máximo sua vida. O provavel aconteceu, se beijaram, Kate almejava por "liberdade", por se sentir "adulta", "madura", "jovial", como aquelas atrizes do cinema. Josh não era apenas bonito, mas também exercia certo poder sobre ela, como se a tivesse enfeitiçado.
Sairam por mais três vezes seguidas. Quando chegou o tempo de Kate voltar pra casa, num momento de loucura, ela se entregou a ele.
Almejava liberdade...só um pouco de liberdade, misturada com carência...
---
A história de Kate é a história de muitas meninas hoje.
Que pensam que liberdade pode ser sexo, drogas e rock'n roll, quando na verdade isso não passa de loucura juvenil com seríssimas consequencias.
Consequencias emocionais, morais, físicas, sociais e até espirituais..
Será que vale mesmo a pena se entregar assim?
Será que vale mesmo a pena querer ser "livre". Kate passou os meses seguintes com medo de ter engravidado, com medo de si mesma, se sentindo desvalorizada, até mesmo com nojo de si mesma. Nunca mais viu Josh, ela também não engravidou, mas sua vida emocional mudou totalmente. E demorou dois anos para que ela voltasse a pensar em sair com alguém.
Dois anos em que ela viu as amigas casarem, noivarem, crescerem...
Pense sobre o que é liberdade.
"Liberdade é ser tão, e absolutamente, livre, que posso escolher simplesmente obedecer à Deus e aos seus preceitos, que geram VIDA em mim" (Mirian dos Santos)