segunda-feira, 12 de julho de 2010

Nerd eu? Quem sabe…

CRB002794

Hoje acordei tarde, é domingo, é bom dizer: Bom dia pra vocês!
Aqui está frio, o clima tá pra chuva e eu estou pensativa.
Fiz cerca de 10 testes na ultima semana sobre a quantidade de percentual nerd que eu possuo, até mesmo porque isso nunca foi uma preocupação pra mim. Sou o que sou e ponto final. Só que com a quantidade de pessoas me chamando de estranha, resolvi querer saber se isso é realmente algo que é parte de mim ou é só uma indicação. Bom, um dos resultados foi “Nerd em estágio crítico, você é quase radioativo!”

Ótimo! Pensei. Logo eu que mal sei diferenciar as equações físicas, que tive sérios problemas com Isaac Newton, Einstein, Bohr… Que fui taxada de “Cruz” pela professora de Física. Tudo bem que sou apaixonada por computadores, livros, música. E que mal saio de casa pra ter uma “vida” fora do quarto. E eu sei que vida extra-quarto existe. Mas, como assim nerd?

Sei lá se tem algum nerd me lendo, mas, se tiver, já devem estar indignados, pois que eu, mal sei respeitar as regras das comunidades MMORG, nunca fiz um curso de computação e tudo aprendi como uma curiosa do ramo –ou seja- não entendo absolutamente nada de computadores, não me coloquem ao lado de programador nenhum, eu simplesmente não entendo nada. Só sei ler as regras das coisas e tento obedecer o manual de uso. Se isso é ser Nerd, então eu sou, mas, acho que estou bem longe de saber a diferença dos aceleradores de moléculas e das pastilha de freio à disco.

Porém, se houver alguém que me leia, que goste de música clássica, MPB, de filosofia política com ênfase em pensadores contemporâneos, filmes, jogos de computadores, Star Wars, xadrez, natação, que ouça um bom Hope Rock, que saiba conversar sobre a Bíblia, que curta um papo gostoso com Deus, que compreenda a beleza das coisas da Terra, que entenda a diferença de cinema e demonios, e que respeite as outras pessoas como se compreendessem que são parte da comunidade humana e que devemos amá-los e não matá-los. (por mais vontade que dê às vezes) Eu peço: Dê sinal de vida! É ruim ser diferente dos demais e estar fora das convenções sociais a maior parte do tempo. Até mesmo dentro da igreja, ou melhor, especialmente dentro da Igreja…

Sinceramente, me orgulho de ser diferente, e estar incluída no bando “nerd”. Espero que me aceitem, já que sou totalmente “Humanas”, e quer saber? Espero que tenha um outro alguém nessa Terra com estas mesmas expectativas e que Ame a Deus acima de todas as coisas! Mesmo sendo “exatas”, “biológicas”, seja lá o que for. Espero apenas que seja totalmente aceito por si mesmo e compreenda sua aceitação diante da perspectiva Divina de Pai, que eu creio.

Um grande abraço,

Srta. A.Perbeline S. (S de Skywalker? kkkk)

11-07-2010/ Maringá-PR