terça-feira, 31 de maio de 2011

Mesmo sendo Jedi, serei Padawan.

694px-Star_Wars_Logo

Hoje, se você não for familiar à linguagem de Star Wars e ignorar que estou na caminhada do discernimento vocacional há 1 ano e 5 meses, é fato, você não conseguirá compreender o post.

Quero falar sobre o processo contínuo do treinamento dos Padawans e sua consequente sagração em Cavaleiros Jedis.

Maaaaaas, o Padawan em questão não é Obi-Wan, nem Anakin Skywalker e muito menos Luke ou a Princesa Leia. O Padawan sou eu.

No primeiro capítulo de Star Wars, onde Obi Wan ainda é um jovem Padawan, o Mestre Yoda tem apenas 500 anos (risos) e o Lord Sit super-ultra-mega-power não tomou o poder, mas é apenas o Senador Palpatine (um ser que considerou melhor o mal do que o bem e que viu prazer nos caminhos dos ímpios… seu fim foi de solidão, tristeza e trevas. Ninguém que ama apenas o poder, ama alguma coisa, pois não passa de um egoísta).

Quando Anakin é um garotinho e vai para a Casa Jedi para ser treinado ele ainda não faz idéia da possibilidade que se abre pra ele, ele considera muito honroso ser um cavaleiro Jedi, mas não compreende que ser um Jedi não é um mero título de honra, não é apenas um treinamento de caráter, é aprender a agradar a Força que rege o Universo, é aprender a ser Um com a Força, é um árduo caminho a ser trilhado.

O Lado Negro sonda cada pequeno padawan, na expectativa de absorvê-lo, corrompê-lo e terminar por matá-lo. E sua morte será triste, pois quanto mais integrada ao lado obscuro, mais orgulhoso você se torna, e não vê que é “pobre, cego e nú”.

Comecei a admirar os Jedis já consagrados cavaleiros há 1 ano e 5 meses e à partir de 2012 espero me unir à Casa Jedi para ser treinada, quero ser também uma Padawan. Ser também parte  da Casa Jedi, da família Jedi, e aprender de cada Mestre Jedi que me acompanhará na caminhada. Em termos práticos Padawan por 5 anos. Jedi-Padawan por mais 5. Cavaleiro Jedi daí em diante e à medida em que o Conselho dos Mestres considerar necessário, torno-me Mestre Jedi.

Percebi nas convivências oportunizadas pelos Jedis de meu convívio que cada Jedi não é um Cavaleiro acabado, mas é sempre um eterno Padawan caminhando na estrada da sagração, absorvendo sempre os ideais de cada Jedi, sendo honesto consigo mesmo e sobretudo, honrando a característica prima de ser Jedi: Estar pela Força, para a Força em união perfeita.

 

Naquele que nos torna Jedis e Padawans pra Sua Glória,

 

Amanda P.