segunda-feira, 4 de julho de 2011

Felicidade chegou e nem sequer se apresentou…

 

Pe. Zezinho SCJ.(LP: HISTÓRIAS QUE EU CONTO E CANTO)

“às vezes (…) no vai e vem do cotidiano é preciso tomar tempo, parar um pouco, e deixar que fale o coração. Alguns falam por cartas, outros em diários e outros ainda em livros e revistas. E dou graças a Deus porque existe gente que não guarda para si apenas a riqueza de sentimentos que o mundo foi trazendo até eles. Eu nunca sonhei ser cantor, nem poeta e nem compositor, quis e tão somente quero ser gente, cristão e padre. Mas, foram os jovens que me disseram que o importante não era um padre Zezinho músico, cantor ou artista, e sim um padre Zezinho que lhes falasse do jeito que eles entendem (…)”

Felicidade chegou,
nem sequer se apresentou
Foi entrando de mansinho
pela fresta que eu deixei,
quando a porta eu fechei
e jurei não mais amar!

Esperança chegou,
nem se quer se apresentou
Foi entrando do mansinho
pela fresta que eu deixei,
no sermão que eu escutei
e lutei pra não chorar!

Jesus Cristo chegou,
nem sequer se_apresentou
Foi entrando de mansinho
pela fresta que eu deixei,
num irmão que eu ajudei
sem querer devolução!

Minha vida mudou,
minha paz eu encontrei
E ela veio de mansinho,
pelas frestas que eu deixei,
o porque me descuidei.
Deus entrou com seu amor!