terça-feira, 11 de outubro de 2011

Sobre a Liberdade.

42-19952854

Eu passei a manhã quase toda queimando meus pobres neurônios pra pensar a respeito de liberdade, não consegui formular nada sintético que expressasse exatamente o que eu sentia. A primeira análise, parece que sou um tanto adepta das teorias empírica e utilitária afinal, a liberdade apresenta-se como

a capacidade individual de autodeterminação, caracterizada por compatibilizar autonomia e livre-arbítrio com os múltiplos condicionamentos naturais, psicológicos ou sociais que impõem predisposições ao agir humano

Logo, a liberdade é o que me permite experienciar e refletir, levando em consideração aquilo que carrego de natural, psicológico e social, que me forma enquanto Ser, que me torna personalizado enquanto ser consciente e igual enquanto ser biológico.

PIC7.tmp

Sendo assim, depois de todo esse blablablá filosófico, queria compartilhar algumas coisas, dentre as quais posso considerar a resposta vocacional de alguém. Antes de mais nada, queria explicar que vocação é um chamado divino. A primeira delas é a vocação à vida. Da minha perspectiva, a vocação à vida é que se pauta na alegoria criacional de que Deus forma o homem do barro e lhe sopra fôlego de vida.  Todo homem é chamado à Vida.

A segunda vocação é a cristã: Todo homem é convidado a crer e seguir Jesus Cristo como resposta para sua condição de queda e desejo de redenção, tendo como porta de ingresso o batismo.

As outras vocações são: Matrimônio, segundo a qual homem e mulher são chamados a constituir família. A vida leiga consagrada, segundo a qual se vivem os preceitos evangélicos de castidade, pobreza e obediência, porém sem viver em comunidade. A vida consagrada, que é aquela em que se vive em comunidade o seguimento mais radical de Jesus, através dos preceitos evangélicos. Enfim gente, deu pra perceber que vocação é um apelo  ou inclinação para uma opção de vida né. Então tá, rsrs, maiores dúvidas procure uma livraria paulinas mais próxima de você e questione as irmãs por alí, elas vão ajudar com toda certeza rsrs. Porque o objetivo do papo de hoje é falar sobre a RESPOSTA que se dá à vocação.

IMG0267A

Quando nós nos deparamos com um questionamento sério sobre “o que fazer da nossa vida?”, quando se tem um amor muuito grande pelo Evangelho, pela Igreja, pela vida e por missões, é possível que se tenha uma vocação religiosa despontando.

De repente você acorda, inquieto, se questionando, com milhões de dúvidas, para, reflete e lança ao vento: _ Será que isso que eu to sentindo é vocação para a consagração?

mp_love_never_fails-web

Aí minha filha! Se prepare pra trilhar a aventura mais radical da sua existência simples. Esse foi o pontapé inicial que eu dei rumo à coisa mais doida que já vivi, o encontro com a mais pura resposta que poderia dar à Deus, livre de vícios, de máculas, de indução ao erro, numa constante ascese que culmina na recepção mais intensa do amor de Deus no coração.

Por fim, depois de quatrocentas mil à enésima potência de crises, surtos, questionamentos, eu descubro que a resposta que dou à Deus é fruto da mais intensa liberdade que tenho, que o que faço é por gratidão, por desejo de viver a rtadicalidade do Evangelho, por sincera entrega, porque… Ele me venceu e minha massa cinzenta não conseguiu arranjar desculpas para a fuga e terminei rendida, em estado de graça, de entrega total e abandono à sua vontade.

evolução

Isso é consagração, entregar-se à vontade de Deus na vivência da ascese cristã, observando a Palavra do Senhor.

“De que maneira poderá o jovem guardar puro os seus caminhos? Observando a sua Palavra, ó Senhor” Sl. 119.

É isso!

em 06-10-2011, São Paulo – SP

Panda

Apenas humana

De repente você descobre que não é um X-Men. Pois é, você acordou do sonho cara, não adianta correr rumo a outra padaria e nem pegar metrô pra tentar na região próxima, já era… você não tem super-poderes. Não pode controlar nada. Se liga, você não consegue mudar isso.

Deu pra perceber? Preciso desenhar? Não, não é revolta, tô só constatando os fatos. Estou me dando conta de que não tenho como mudar algumas situações, obrigar pessoas a agirem de outro jeito. Algumas atitudes simplesmente acabam comigo, me deixam com o coração partido demais, e, se você não sabe o que é se sentir impotente diante de uma situação, não sabe o que é um coração que se parte.

É, talvez você seja mais um pamonha…

y1plIRzfjiLv9HZ3nELvN4UPSSIEppSc2F_UhEwQdS_RhYCTIrMFKKQ-h0ym2RWxpoCSihNgkXCTGg

Choro. Choro quando descubro que sinto saudade e que não posso mudar as circunstancias. Essa dor é profunda demais, e, simplesmente aconteceu. Partilho algumas cicatrizes sim, mas, é preciso prosseguir. Inevitavelmente, é preciso caminhar.

Aqueles que nunca alimentaram sonhos não sabem o que é vê-los no chão, sem possibilidade de ressurreição. José, filho de Jacó sabia… ele estava numa prisão fétida, tinha sido vendido por seus irmãos. E eu sei, estou diante de uma situação em que minhas mãos de panda estão atadas. E nem com toda habilidade do mundo não poderia reverter este quadro. Eu não tenho poderes sobrenaturais. Não, eu não sou o Kung-fu Panda, apesar das considerações contrárias.

Quem ama corre o risco de chorar. Eu escolhi esse risco. Eu escolhi chorar. Não quero me prender no esquife das minhas mazelas, na podridão do meu orgulho, exalando o fétido suor de uma autosuficiencia mesquinha e infantil. Eu quero e escolho amar. Mais uma vez.

ruesa

“A maior fraqueza do homem é poder tão pouco por aqueles que ama” – Blaise Pascal

“Não alcançamos a liberdade buscando a liberdade, mas sim a verdade. A liberdade não é um fim, mas uma consequência” – Leon Tolstoi

“Para saber uma verdade qualquer a meu respeito, é preciso que eu passe pelo outro” – Jean Paul Sartre

“O primeiro serviço que alguém deve ao outro na comunidade é ouví-lo. Assim como o amor a Deus começa com o ouvir a Sua Palavra, assim também o amor ao irmão começa com aprender a escutá-lo. É prova do amor de Deus para conosco que não apenas nos dá sua Palavra, mas também nos empresta o ouvido. Portanto é realizar a obra de Deus no irmão quando aprendemos a ouví-lo. Cristãos e especialmente os pregadores, sempre acham que tem algo a ‘oferecer’ quando se encontram na companhia de outras pessoas, como se isso fosse o seu único serviço. Esquecem que ouvir pode ser um serviço maior do que falar. Muitas pessoas procuram um ouvido atento, e não o encontram entre os cristãos, porque estes falam quando deveriam ouvir…” – Diedrich Bonhoeffer

De volta ao Paraná, Abraços,

Panda