quarta-feira, 22 de maio de 2013

Quando resolvi ser quem sou

Se eu conseguisse dizer pra vocês o que sinto. 
Mas, não consigo. É da minha natureza poetizar e me aprofundar nas coisas. 
Não sei ser diferente. (Não ainda, ao menos) E preciso de gente "pé no chão", que me fale tudo na cara. E quero falar tudo na cara também. 

 A verdade é que faz bem. Que liberta. Pode até assustar aos que primam pela pseudo "boa educação", afinal, gente educada de verdade é aquela que fala tudo que tem pra falar e ouve também. Que sabe se comunicar e não esquenta com os bizarros seres que podem, eventualmente, sair de dentro de você. Afinal, humanidade é isso, é a habitação de diversos "eus" que vivem livres à medida que a realidade bate à sua porta. 

Fica assim então, fala pra mim o que te faz bem e eu combino de dizer o que me der vontade. Bebe um gole e fica mais. Afinal, quem é que trás toda essa energia boa que encanta e faz bem? Quem é que mostra a beleza de ser e se completa com você num super-ser? Só o amor é capaz de libertar. E só a realidade é capaz de ser libertadora, se em amor é revelada. 

E não, não é papo de igreja. 
É papo de gente. 
De gente que sente. 
 De gente humana. 
De gente que... sei lá, é gente. 

 ;) Bjo, Panda.

domingo, 19 de maio de 2013

De outros, tão meus.

Disse que cavaria e encontraria tesouros escondidos, não esperava, entretanto, encontrá-los sob minhas barbas ~não que eu as tenha~

Travo uma descoberta que a palavra espetacular não define, é uma daquelas coisas que a gente sente e dá pra dizer que evolui com elas, simplesmente se sente. O livro é “A Profecia Celestina” e o tesouro é esse texto que “bate” com a leitura da descoberta da Oitava Visão (e se não entender nada, sugiro que vá ler o livro hahaha).

Texto abaixo da sis Ella Jay,

Abaixo ao ser Humano (?)

Segundo os muitos milhões de dicionários e em qualquer idioma que se encontre, Humano significa “1. Do homem ou a ele relativo. 2. Bondoso, benfazejo, compassivo.”

Então, tantas vezes aqui comigo eu pensei: Nós seres humanos passamos frases e ideias como “menos humanos, mais ‘sei lá o que’” para as pessoas e elas nem se dão conta de que estão jogando fora todo um significado e desejando que haja cada vez mais “inumanidades”. O significado de bondade vai bem mais além do que ele diz, assim como o de ser humano.

Desejar que a humanidade não exista mais, é desejar que uma parte do que é bom seja demolida. Somos todos um conjunto com a natureza, os animais e os sentidos.

Não quero discutir semântica, muito menos ensinar padre a rezar missa, é apenas um texto de opinião, de sentimento.

Mas, Ser humano é algo que deveria deixar qualquer pessoa orgulhosa. Pois a maldade é criação daquele que não compreende. As pessoas não veem, mas somos todos animais. Dizem por ai: “Animal tem mais sentimento que ser humano. Animal é mais isso e aquilo”… Realmente não descobrimos que somos iguais!

Exemplo disso são algumas espécies de animais, insetos (etc.) que comem ou matam seus parceiros ou filhotes por instinto. O rito deles…
De certa forma o ‘homem’ criou o seu próprio instinto variável, e age conforme ele. (Não, não é certo), porém, da mesma forma que os animais, o ser humano também age pelo seu impulso. E também por impulso e falta de compreensão ele deseja que o resto de sua bondade seja extinta da face do universo, assim como, por instinto eles destruíram muita coisa. Regenere-se consigo mesmo. Somos todos seres de inteligência tão vasta, porque nós nos jogamos (e jogamos junto as outras pequenas e maiores coisas) entre pequenos abismos?

…A inteligência é uma dadiva de todo ser humano, assim como também dos animais. Evolui-la, e, não estagna-la em precipícios é uma escolha e percepção que dificilmente nos permitimos ter. O que nós somos afinal?

Elephantstardust.tumblr.com

Abraço, com algo indecifrável, tal como Amor, aos navegantes,

Panda.

terça-feira, 14 de maio de 2013

Lá e de volta outra vez.

 

Num buraco no chão vivia um hobbit. Não numa toca desagradável, suja e úmida, cheia de restos de minhocas e com cheiro de lodo, tampouco uma toca seca, vazia e arenosa, sem nada em que sentar ou que comer: era a toca de um hobbit, e isso quer dizer conforto.

_ J. R. R. Tolkien, O Hobbit

Se eu escrevesse, num buraco no chão vivia um panda, talvez soasse mais realista, mas, depois de comer um bolo com palitos de madeira e isopor, estou um tanto quanto distante dos realismos artísticos de algumas pessoas.

Afinal de contas, comer um bolo e encarar as calorias é uma coisa, comer um bolo com isopor e madeira é outra totalmente diferente. KinderBolo – o seu aniversário com surpresas!

Mas, isso é papo para algum dia numa roda com amigos e um mate, ou um café, ou qualquer bebida agradável.

Dane-se como isso começa, o importante é que estou de volta, uma vez mais. E embarquem comigo, afinal:

Para além das montanhas nebulosas, frias,

Adentrando cavernas, calabouços cravados,

Devemos partir antes de o sol surgir

Buscando tesouros há muito esquecidos.

E eu adoro buscar tesouros. Especialmente os “há muito esquecidos”.

herzog

Boa noite, abraço aos navegantes Smiley piscando