quarta-feira, 22 de maio de 2013

Quando resolvi ser quem sou

Se eu conseguisse dizer pra vocês o que sinto. 
Mas, não consigo. É da minha natureza poetizar e me aprofundar nas coisas. 
Não sei ser diferente. (Não ainda, ao menos) E preciso de gente "pé no chão", que me fale tudo na cara. E quero falar tudo na cara também. 

 A verdade é que faz bem. Que liberta. Pode até assustar aos que primam pela pseudo "boa educação", afinal, gente educada de verdade é aquela que fala tudo que tem pra falar e ouve também. Que sabe se comunicar e não esquenta com os bizarros seres que podem, eventualmente, sair de dentro de você. Afinal, humanidade é isso, é a habitação de diversos "eus" que vivem livres à medida que a realidade bate à sua porta. 

Fica assim então, fala pra mim o que te faz bem e eu combino de dizer o que me der vontade. Bebe um gole e fica mais. Afinal, quem é que trás toda essa energia boa que encanta e faz bem? Quem é que mostra a beleza de ser e se completa com você num super-ser? Só o amor é capaz de libertar. E só a realidade é capaz de ser libertadora, se em amor é revelada. 

E não, não é papo de igreja. 
É papo de gente. 
De gente que sente. 
 De gente humana. 
De gente que... sei lá, é gente. 

 ;) Bjo, Panda.